elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,0701
-1,43%
47,77
+7,28%
1.483,98
+0,00%

Celulares 2G perdem espaço entre as linhas de celular ativas no país

Agência Brasil - 18:50 - 28/08/2014
comentarios

    Pela primeira vez, o número de celulares que operam com a tecnologia 2G (segunda geração) representa menos da metade das linhas ativas no país. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o volume e a participação percentual dos acessos 2G vêm sofrendo redução constante com o avanço das demais tecnologias.

    Em julho, a 2G era usada em 48,5% dos celulares, número menor que o registrado em janeiro, quando a tecnologia representava 57,8% das linhas. Enquanto isso, o 3G passou de 35,9% em janeiro para 44,3% em julho e a tecnologia 4G aumentou de 0,58% para 1,33% no período.

    O número de linhas de celulares ativas no país chegou a 276,15 milhões em julho, o que representa 136,18 acessos para cada grupo de 100 habitantes. Em julho houve acréscimo de 446,2 mil linhas. Os acessos pré-pagos totalizavam 76,85% do total e os pós-pagos 23,15%. A banda larga móvel totalizou 132,89 milhões de acessos, dos quais 3,67 milhões eram terminais 4G.

    A maior teledensidade está no Distrito Federal, com 218,38 acessos para cada 100 habitantes. Em julho, a operadora Vivo liderava o mercado, com 28,75% de participação, seguida da TIM, com 26,93%; da Claro, com 24,96%; da Oi, com 18,50%; da CTBC, com 0,40%; da Nextel, com 0,39% e da Sercomtel, com 0,02%.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Mantega espera 2015 com <b>mais chuva</b> e menor pressão sobre preços agrícolas
     Conselho Monetário libera operações de <b>crédito</b> para estatais do setor elétrico