elEconomista.es
Brasil
Bovespa
37.362,92
-1,76%
USDBRL
3,2638
-0,03%
Crudo WTI
47,77
+7,28%
Oro
1.328,12
+0,03%

Taxação de grandes fortunas não traz muita vantagem, diz Levy

Agência Brasil - 19:13 - 27/02/2015
comentarios

    A taxação de grandes fortunas arrecada pouco e não traz grandes vantagens para a distribuição de renda, disse hoje (27) o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Para ele, o aumento do Imposto de Renda em determinados casos tem mais eficácia para aumentar a arrecadação de pessoas ricas.

    ''A taxação estática de grandes fortunas [quando o imposto incide sobre a riqueza, não sobre a renda] não arrecada muito e não tem muita vantagem. O principal instrumento de tributação é a renda'', declarou o ministro ao ser perguntado sobre propostas de parlamentares de aumentar a taxação de fortunas.

    O ministro lembrou que os estados tributam a herança; e os municípios, a transmissão de bens entre pessoas vivas. Ele, no entanto, destacou que doações de dinheiro praticamente não pagam Imposto de Renda.

    ''Quem recebe uma doação de R$ 1 milhão hoje paga muito pouco de Imposto de Renda. É uma quase renda que não está sujeita à tributação. Existem numerosas combinações e possibilidades que não se restringem ao Imposto sobre Grandes Fortunas'', completou o ministro.

    Otras noticias
    Contenido patrocinado

    Comentários 0


    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Diminuição de regime especial para exportadores trará economia de R$ 1,8 bilhão
    Brasil.- Meliá abre un nuevo hotel en Sao Paulo y eleva a 16 sus establecimientos en Brasil