elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
3,2621
+0,13%
47,77
+7,28%
1.278,80
-1,13%

Relatório da KPMG compromete números da fusão que originou a Via Varejo

elEconomista América - 14:45 - 29/05/2013
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    A análise da consultoria da KPMG, contratada para avaliar o patrimônio da  Via Varejo,  apontou o superfaturamento no patrimônio da empresa em R$ 230 milhões, segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira (29).

    A Via Varejo foi constituída em 2010, após a fusão das redes varejistas Ponto Frio e Casas Bahia, que passaram a integrar os ativos do Grupo Pão de Açúcar.

    A Folha destacou que R$ 170 milhões são resultado de uma diferença na avaliação das Casas Bahia. Segundo a publicação,  a cifra também inclui R$ 50 milhões em vendas da Casas Bahia, destacando que 73 mil notas fiscais dessas vendas não foram encontradas.

    Para a Folha, os dados do Ponto Frio  apontaram uma diferença patrimonial inicial de R$ 35 milhões, mas poderia chegar a R$ 60 milhões.

    O relatório da KMPG também teria mostrado outras inconsistências que não puderam ser contabilizadas. Assim, o valor poderia superar o resultado preliminar de R$ 230 milhões.

    As  empresas disseram para a reportagem do jornal que os números da KPMG não são definitivos e se negaram a comentar o relatório. A Folha destacou que pode  ser aprovado um  pagamento das diferenças para sanar o problema.

    Contenido patrocinado
    Otras noticias

    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    ¿Cómo son los <b>perfiles</b> de los <b>empresarios brasileños</b>?
    <b>Petrobras</b> anuncia investimentos na <b>Bahia</b>