elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1293
+0,36%
47,77
+7,28%
1.484,46
-0,46%

Acciona assina contrato de R$ 2,3 bilhões no Brasil

Europa Press - 17:48 - 14/10/2013
1 comentario
    tagsMás noticias sobre:
    José Manuel Entrecanales, presidente da Acciona

    A Acciona assinou nesta segunda-feira (14) um contrato para a construção de uma nova linha de metrô em Fortaleza, orçado em R$ 2,3 bilhões (800 milhões de euros). O projeto licitado na semana passada foi vencido pelo consórcio formado pela Acciona e a empresa brasileira Cetenco, que ofereceu uma proposta com custo 9,5% abaixo do estimado pelo Estado do Ceará (R$ 2,5 bilhões).

    Com a realização do projeto, a companhia espanhola liderada por José Manuel Entrecanales espera consolidar sua expansão no Brasil.

    O contrato envolve a construção de 12,4 quilômetros de linhas de metrô, em uma linha que terá doze estações e vai ligar as regiões sul e oeste, passando pelo centro de Fortaleza. A nova linha deve servir a cerca de 400 mil passageiros.

    A expansão do metrô é parte do programa "PAC Mobilidade Grandes Cidades" e será financiada pelo governo federal, que vai disponibilizar  R$ 1 bilhão em recursos do Orçamento Geral da União e R$ 1 bilhão da Caixa Econômica Federal.

    A licitação também inclui o trabalho de montagem e instalação dos quatro tuneladoras que o governo do Ceará adquiriu para implementar o projeto.

    A Acciona informou que pretende acelerar sua expansão no Brasil, onde está fazendo investimentos de olho nos projetos de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e  as Olimpíadas de 2016 .


    Comentários 1

    1
    Ronaldo
    14-10-2013 / 23:14
    Puntuación 0   A Favor   En Contra

    O Consórcio é Cetenco Acciona, e é liderado pela empresa brasileira, e não pela espanhola....

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Operadora de turismo <b>CVC anuncia IPO</b>
    <b>BNDES e Caixa Econômica Federal</b> devem prorrogar empréstimos feitos para </b>empresa de Eike Batista</b>