elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
3,1250
-0,00%
47,77
+7,28%
1.293,04
+0,12%

Qual é o fundo do poço da Petrobras?

João Varella - 17:26 - 23/12/2014
comentarios
    tagsMás noticias sobre:
    O empresário Eike Batista

    ANÁLISE - A principal interrogação do mercado de capitais no momento é a Petrobras. Afinal, vale a pena comprar ações da empresa que nutriu um nefasto esquema de propinas?

    Analistas favoráveis a compra apontam que as ações da Petrobras estão abaixo do balanço patrimonial. O cálculo do preço do papel dividido pelo valor patrimonial por ação (P/VPA) é uma maneira tradicional de identificar pechinchas no mercado de capitais.

    O valor de Bolsa embute uma expectativa futura de ganho. Já o patrimônio líquido é uma segurança. Caso a empresa venha a fechar as portas (isole na madeira), seus bens seriam vendidos e distribuídos entre os sócios\acionistas. A tendência é que o valor da ação acompanhe o patrimônio da companhia, embora isso não seja uma regra.

    As empresas de Eike Batista, por exemplo, eram as melhores oportunidades dentro da lógica P\VPA há um ano. O empresário, aliás, dizia que a sua OGX valeria um dia o mesmo que a Petrobras. Por linhas tortas, ele se aproxima do momento de bradar "eu disse, eu disse, eu disse". Só para não deixar passar em branco, a OGX, que mudou de nome para Óleo e Gás Participações, teve lucro de R$ 12,6 bilhões nos nove primeiros meses de 2014.

    A Petrobras nem balanço tem. A auditoria PricewaterhouseCoopers se negou a assinar o documento, que é referência para os analistas tomarem suas decisões. Cabe, aliás, questionar a própria Pwc, pois ao que tudo indica o rombo nas contas da companhia ocorre há anos.

    Ou seja, nem os balancetes anteriores são confiáveis. Por exemplo, a refinaria de Abreu Lima, em Pernambuco, teve 383 aditivos nos contratos de construção. Há nove anos, ela tinha orçamento de US$ 2,5 bilhões e ela supostamente sairá por US$ 18,5 bilhões. Fora que os processos brotando na Justiça brasileira e americana devem espancar ainda mais o caixa da empresa.

    Quem quiser comprar PETR3 e PETR4 deve ter noção que ninguém conhece a profundidade desse poço de lama.

    *****


    João Varella é editor do El Economista América e repórter da revista IstoÉ Dinheiro. Fundou a editora Lote 42 e o site Trilhos Urbanos. É autor de três livros, sendo o mais recente 42 Haicais e 7 Ilustrações. Escreve semanalmente neste espaço. O presente artigo não reflete necessariamente as opiniões do El Economista América.

    Contenido patrocinado
    Otras noticias

    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Petrobras, la joya brasileña a la que la corrupción le resta valor
    LATAM Airlines prevé margen operacional de un 6 a un 8% en 2015