elEconomista.es
Brasil
Bovespa
37.362,92
-1,76%
USDBRL
3,2638
-0,03%
Crudo WTI
47,77
+7,28%
Oro
1.323,65
+0,12%

Ex-deputado Doutor Rosinha assume cargo de alto representante do Mercosul

Agência Brasil - 11:29 - 25/02/2015
comentarios

    O ex-deputado federal pelo PT do Paraná (1999-2015) e ex-presidente do Parlamento do Mercosul (2008-2009) Doutor Rosinha, de 64 anos, assume na tarde desta quarta-feira (25) o cargo de alto representante-geral do Mercosul. A cerimônia será no Edifício do Mercosul, em Montevidéu.

    Rosinha foi indicado pelo governo brasileiro e teve seu nome aprovado por unanimidade, por todos os demais países-membros do bloco - Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela.

    Entre as atribuições do cargo estão representar o Mercosul em reuniões com blocos e organismos internacionais, coordenar missões de observação eleitoral, apresentar propostas vinculadas ao processo de integração e liderar os trabalhos do plano de ação do Estatuto da Cidadania do Mercosul.

    Criada em 2010, a função de alto representante-geral do Mercosul foi exercida até junho de 2012 pelo embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, ex-secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores. Na sequência, Ivan Ramalho, economista e atual secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, assumiu o cargo.

    Rosinha pretende dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo antecessor. ''Sempre que se assume um cargo, assume-se um desafio. O Ivan Ramalho estava desenvolvendo um programa de trabalho buscando a integração de cadeias produtivas. Continuarei com esse programa, que constitui um grande avanço na construção do Mercosul'', disse em nota.

    O ex-deputado informou que prosseguirá na busca da consolidação de uma identidade para o Mercosul. ''Sempre busquei a criação dessa identidade e para isso dou dois exemplos: a defesa que faço pela eleição direta para o Parlamento do Mercosul, que dará uma identidade política para o bloco, e a lei que obriga o hasteamento da bandeira do Mercosul nos órgãos públicos brasileiros, infelizmente ainda desconhecida ou desrespeitada.''

    Segundo ele, também é prioridade identificar os problemas de fronteira e superá-los: ''A integração começa pela construção da cidadania nas fronteiras''.

    Otras noticias
    Contenido patrocinado

    Comentários 0


    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Grécia apresenta pedido de extensão de crédito
    Deudas de empresas investigadas en el caso Petrobras aumentan en un 1.424%