elEconomista.es
Brasil
Bovespa
49.184,72
+1,42%
USDBRL
2,6597
-0,11%
Crudo WTI
56,33
+3,62%
Oro
1.196,48
-0,06%

Operações de contrainteligência obedeceram à legislação brasileira, diz governo

Agencias - 14:40 - 4/11/2013
0 comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou, por meio de nota, que as operações de contrainteligência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), em 2003 e 2004, citadas em reportagens do jornal Folha de S.Paulo publicadas hoje (4) ?obedeceram à legislação brasileira de proteção dos interesses nacionais?. De acordo com as matérias, a Abin monitorou diplomatas de três países (Rússia, Iraque e Irã) em três operações e, em outra, investigou a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília no aluguel de um conjunto de salas, por suspeita de que elas eram usadas como estações de espionagem.

    Brasil espionou funcionários do governo da Rússia, Irã e Iraque

    O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou, por meio de nota, que as operações de contrainteligência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), em 2003 e 2004, citadas em reportagens do jornal Folha de S.Paulo publicadas hoje (4) ?obedeceram à legislação brasileira de proteção dos interesses nacionais?. De acordo com as matérias, a Abin monitorou diplomatas de três países (Rússia, Iraque e Irã) em três operações e, em outra, investigou a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília no aluguel de um conjunto de salas, por suspeita de que elas eram usadas como estações de espionagem.

    Na nota, o Gabinete de Segurança Institucional ressalta que o vazamento das informações é crime. ?Respeitando os preceitos constitucionais de liberdade de imprensa, o GSI ressalta que o vazamento de relatórios classificados como secretos constitui crime e que os responsáveis serão processados na forma da lei.?

    O GSI informou ainda que ?eventuais infrações são passíveis de sanções administrativas, abertura de processo de investigação e punições na forma da lei?. A Abin, segundo o órgão do governo, ?desenvolve atividades de inteligência voltadas à defesa do Estado Democrático de Direito, da sociedade e da soberania nacional, em restrita observância aos preceitos constitucionais e aos direitos e às garantias individuais?.

    Segundo reportagens publicadas hoje, diplomatas russos envolvidos em negociações de equipamentos militares foram fotografados e seguidos em viagens. Funcionários da Embaixada do Irã também foram vigiados para identificação de seus contatos no país. Além disso, diplomatas iraquianos foram seguidos e tiveram atividades fotografadas na embaixada e em suas residências, conforme relatório da Abin obtido pelo jornal.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Brasil
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Ecoprensa S.A. - Todos los derechos reservados | Política de cookies | Cloud Hosting en Acens

    Brasil.- La Agencia Brasileña de Inteligencia espió a funcionarios extranjeros
    <b>Corregedoria do MP</b> vai investigar conduta de promotor de São Paulo no caso Alstom