elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
3,1250
-0,00%
47,77
+7,28%
1.291,49
0,00%

Renan Calheiros diz que maioria do PMDB decidirá nome para presidir o Senado

Agência Brasil - 10:19 - 29/01/2015
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), falou ontem (28), pela primeira vez, a respeito das eleições para a nova Mesa Diretora da Casa. Cotado para se reeleger à presidência, até hoje, Renan não admitiu oficialmente ser candidato.

    Em nota divulgada na tarde de ontem, a assessoria de Renan informou que ele recebeu o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) hoje de manhã para tratar da eleição. O parlamentar catarinense anunciou na terça-feria (27) que disputará a ´presidência, mesmo Renan formalize sua candidatura.

    De acordo com a nota, Renan disse a Luiz Henrique que a decisão sobre o candidato do PMDB deverá ser tomada pela maioria dos 19 senadores que compõem a bancada do partido.

    ''O senador Renan Calheiros ponderou ao senador Luiz Henrique da Silveira que a indicação do nome para disputar a presidência do Senado Federal é feita pela maior bancada, de modo a não violar a proporcionalidade e o regimento'', ressaltou a nota.

    Depois da reunião com Renan, Luiz Henrique disse que sua candidatura é ''uma coisa natural'' e que conta com o apoio de partidos de oposição para a disputa. ''Na política, trabalha-se com a realidade. Sei quantos votos tenho na bancada. Não poderia submeter a um grupo menor a vontade de um grupo que perpassa diversos partidos'', disse Luiz Henrique. Hoje à tarde, ele teve reuniões com líderes do PDT e do PSB. Representantes dos dois partidos ainda não tomaram uma decisão oficial sobre o apoio, mas não escondem a tendência.

    Para tentar garantir o apoio do PSB, Luiz Henrique comprometeu-se com a pauta proposta pelo partido.

    Conforme a líder do PSB, Lídice da Mata (BA), a candidatura do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) está mantida. ''Precisamos de certa independência para que o Senado tome posicionamento de acordo com a agenda que as ruas exigem. Elas exigiram uma reforma política. Nós, que somos políticos e disputamos as últimas eleições, sabemos que a reforma é necessária.''

    De acordo com a senadora, não é possível mais ficar debatendo se será por plebiscito ou referendo, nem transformar isso ''no substantivo da reforma. O substantivo da reforma é debater e votar. E nós queremos que isso aconteça no primeiro semestre deste ano.'' Lídice disse que a bancada do PSB decidirá até o fim da semana sobre o apoio a Luiz Henrique.

    A eleição para presidência do Senado será domingo (1º). O PMDB tem a prerrogativa de indicar um nome para o cargo, porque tem a maior bancada da Casa.

    Contenido patrocinado
    Otras noticias

    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Juiz da Lava Jato diz que prisões são advertência para empreiteiras
    Dilma defende fim do embargo a Cuba e pede fórum de empresários da Celac