elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,0804
+0,00%
47,77
+7,28%
1.491,86
+0,20%

Ex-gerente da Petrobras diz que começou a receber propina da SBM em 1997

Agência Brasil - 9:23 - 6/02/2015
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco detalhou, ontem (05) em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato, como começou a cobrar propina de empresas que pretendiam firmar contratos com a Petrobras. Barusco disse que começou a receber os pagamentos indevidos em 1997 ou 1998 da empresa holandesa SBM, quando ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Inslações.

    Aos investigadores, Barusco relatou a sistemática da cobrança de propina. Informou que tinha relação próxima com Júlio Faerman, representante da SBM, e a iniciativa de fazer os negócios com cobrança de propina partiu de ambas as partes.

    Conforme o depoimento, os pagamentos variavam de acordo com o valor do contrato, ficando entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões. Entre as obras que tiveram pagamentos ilegais, o ex-diretor citou um acordo, firmado em 1997 ou 1998, para o fornecimento de um navio à Transpetro.

    As declarações de Barusco foram divulgadas após decisão do juiz federal Sérgio Moro, que retirou o sigilo das investigações da nona fase da Operação Lava Jato, iniciada ontem (5).

    A Agência Brasil não conseguiu entrar em contato com os representantes da SBM no Brasil.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Propina de US$ 150 milhões a US$ 200 milhões foi paga ao PT, diz delator
    Sócio de empresa investigada na Lava Jato deve se entregar hoje à PF