elEconomista.es
Brasil
Bovespa
37.362,92
-1,76%
USDBRL
3,5850
-0,80%
Crudo WTI
47,77
+7,28%
Oro
1.205,32
-0,30%

Movimento Passe Livre volta às ruas para protestar contra escândalos de corrupção em São Paulo

El Economista America - 14:09 - 14/08/2013
1 comentario

    O Movimento Passe Livre (MPL), um dos expoentes das manifestações que tomaram o País em junho, voltará às ruas da capital paulista em um ato programado para começar na tarde desta quinta-feira (14). Na pauta de reivindicações, além da melhoria do transporte público, os manifestantes incorporam atos de protesto contra os escândalos do metrô e trens da CPTM, que teriam tido as licitações prejudicadas por um cartel de empresas.

    Os manifestantes pretendem entregar à Secretaria de Transporte Metropolitano uma pauta que pede a investigação dos contratos da CPTM, o fim das privatizações no sistema de transporte e a redução da tarifa.

    O ato também contará com a participação dos sindicato dos Metroviários, que deve se concentrar por volta das 15h no Vale do Anhangabaú.

    Marcelo Hotimsky, integrante do MPL, disse a Folha que o movimento não vê problema em fazer oposição ao governo e que a manifestação não pedirá a saída do governador Geraldo Alckmin. Ele também comentou que nenhum partido vai ser hostilizado, mas é para ser um ato de denúncia apartidário. Nos protestos de rua de junho os membros de partidos políticos foram hostilizados durante os atos.

    Cartel

    Ontem (13) o governo do Estado de São Paulo disse que entrará  com uma representação contra a Siemens, que denunciou  a existência de um cartel que teria agido em licitações entre 2001 e 2007.  Na denúncia, a Siemens apontou que as empresas Alstom (França), Bombardier (Canadá), Mitsui (Japão) e CAF (Espanha) combinavam propostas para elevar e induzir os resultados de licitações de trens e metrôs em São Paulo.

    O governo estatual entrará na Justiça para pedir o ressarcimento do dinheiro que por ventura foi superfaturado nas obras do metrô e manutenção de trens da CPTM.

    As denúncias vieram a público depois que o jornal Folha de S.Paulo informou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) estava investigando um esquema de cartel com base em dados da Siemens, que estaria cooperando após firmar um acordo de leniência (acordo que impediria que a empresa fosse punida porque está cooperando na elucidação do caso).

    O Ministério Público já está investigando as denúncias de cartel e disse que existem forte indícios de que as licitações tenham sido manipuladas.

    Na semana passada o Estadão denunciou que a empresa francesa Alstom estaria sendo investigada na Suíça acusada de ter enviado dinheiro para pagar propinas a partidos políticos do Brasil.

    Otras noticias
    Contenido patrocinado

    Comentários 1

    1
    14-08-2013 / 19:38
    Puntuación 1   A Favor   En Contra

    eu entendo que todos os partidos deveriam ser hostilizado nestas manifestações e todos não deveriam aceitar partidos politicos nestas manifestaçõe porque afinal de contas são eles que são os culpados de nos estarmos nesta desgraça que estamos


    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    <b>Processo</b> do governo de São Paulo contra a </b>Siemens</b> é destaque do dia
    <b>358 médicos estrangeiros</b> começam a trabalhar no <b>Brasil em setembro</b>