elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1293
+0,36%
47,77
+7,28%
1.484,46
-0,46%

Justiça belga condena filho de brasileira por ligação com o terrorismo

Agência Brasil - 13:02 - 11/02/2015
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    O jovem belga Brian de Mulder, filho da brasileira Rosana Rodrigues, foi condenado à revelia pela Justiça da Bélgica a cinco anos de prisão por ligação com o terrorismo. Brian, de 21 anos, está na Síria desde janeiro de 2013 e, de acordo com a imprensa internacional, que divulgou a sentença hoje (11), acredita-se que ele vive com a mulher e um filho.

    A Justiça belga acusou Brian de fazer parte do grupo extremista Estado Islâmico e de ameaçar a Bélgica com ataques terroristas. Além dele, mais 45 pessoas foram acusadas pela Justiça do país de pertencer ao grupo Sharia4Belgium, que em tradução livre significa direito islâmico para a Bélgica e enviou vários combatentes para a Síria.

    O líder do Sharia4Belgium, Fuad Belkacem, foi condenado a 12 anos de prisão pelo tribunal da cidade de Antuérpia, no Norte da Bélgica. Segundo o juiz, Belkacem é responsável pela radicalização de jovens e sua preparação para o combate armado salafista, no qual não há lugar para valores democráticos.

    No julgamento, o juiz disse também que o Sharia4Belgium recrutava e organizava as viagens de homens jovens para a luta armada na Síria. Dos 46 acusados, apenas nove estavam presentes no julgamento, que teve início em outubro do ano passado. Os demais continuam na Síria.

    O policiamento foi reforçado no tribunal para a leitura da sentença. Os esquemas de segurança e inteligência buscavam evitar qualquer atentado, um mês depois de dois supostos militantes extremistas serem mortos durante uma operação antiterrorista.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Programa de bônus da Sabesp economizou quase 100 bilhões de litros de água
    Governo aguarda proposta de centrais sindicais para definir sobre benefícios