elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1962
+0,01%
47,77
+7,28%
1.468,00
+0,01%

Carga de energia cresceu 2,6% em agosto, informa ONS

Agência Brasil - 17:07 - 5/09/2014
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    Dados preliminares divulgados nestra sexta-feira (5) pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostram que a carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) cresceu 2,6% em agosto, acumulando, nos últimos 12 meses, aumento de 4,2%.

    Em comparação a agosto do ano passado, o crescimento foi nulo, revela o Boletim de Carga Mensal do ONS.  De acordo com os técnicos do órgão,  responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no SIN, o desempenho da carga é explicado, em especial, pelo ritmo reduzido da indústria brasileira.
    A maior alta na carga no mês pesquisado foi observada no subsistema Nordeste: 3,3% e 4,9%, na comparação com julho deste ano. No acumulado de 12 meses, a carga teve evolução de 3,2% no subsistema Nordeste. Esse resultado foi, porém, inferior aos dos subsistemas Norte (21,2%) e Sul (4,8%).

    Nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Norte, a evolução da carga de energia em agosto apresentou queda de 1,4% e 1,1%, respectivamente. Segundo os dados, o comportamento da indústria, com redução de atividade, afetou segmentos que têm elevado consumo no Sudeste/Centro-Oeste. Já na  Região Norte, a carga de energia reflete, em parte, o desempenho dos grandes consumidores eletrointensivos conectados  à rede básica, voltados, em sua maioria, para o mercado externo de commodities (produtos agrícolas e minerais destinados à comercialização no mercado internacional).

    Em relação a julho, a variação da carga foi positiva em todos os subsistemas, alcançando 2,5% no  Norte, 2,3% no Sul e 2,1% no subsistema Sudeste/Centro-Oeste.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    Aeronáutica vai testar primeiro <b>foguete</b> com etanol em Alcântara
    <b>Telefónica</b> Brasil desconoce información alguna sobre la oferta conjunta por TIM