elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,0856
+0,01%
47,77
+7,28%
1.499,94
+0,79%

Dilma diz que país perdeu "seu maior documentarista"

Agência Brasil - 17:17 - 3/02/2014
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    A presidente Dilma Rousseff lamentou nesta segunda-feira (3) a morte do cineasta Eduardo Coutinho, 80 anos, assassinado a facadas na manhã de domingo (2) em casa, no bairro da Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro. Por meio do Twitter, Dilma disse que o Brasil e o cinema brasileiro perderam "seu maior documentarista".

    Dilma empossa quatro novos ministros e diz que haverá mais mudanças

    A esposa do cineasta, Maria das Dores, também foi esfaqueada e está internada no Hospital Municipal Miguel Couto. O cineasta, autor de obras como Cabra Marcado para Morrer, Peões e Edifício Master, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

    O filho do casal Daniel Coutinho, suspeito de ter matado o pai e tentado assassinar a mãe, está sob custódia da Divisão de Homicídios. De acordo com a Polícia Civil, depois de esfaquear os pais, Daniel tentou se matar.

    De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel e Maria das Dores estão na Unidade Intermediária, em situação estável, mas ainda precisando de cuidados médicos.

    O corpo de Eduardo Coutinho está sendo velado no Cemitério São João Batista, na zona sul da cidade do Rio, onde será enterrado às 16h.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    <b>Brasil</b>: la actividad manufacturera se expande ligeramente en enero
    <b>Dilma Rousseff</b> confirma su compromiso con la <b>responsabilidad fiscal</b>