elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1415
-1,06%
47,77
+7,28%
1.460,12
-1,06%

Bovespa fecha com saldo positivo de 0,53%

El Economista America - 12:55 - 18/07/2013
comentarios

    O mercado brasileiro abriu as negociações com tendência bastante volátil nesta quinta-feira (18), mas depois da divulgação de índices dos Estados Unidos a Bovespa pegou carona nas bolsas americanas e consolidou alta de 0,53  aos 47.656 pontos, com movimentação financeira de R$ 5,9 bilhões. Foi a quarta alta seguida da Bovespa, que já acumula valorização de mais de 5% na semana.

    Dois relatório econômicos dos EUA e a fala do presidente do Federal Reserve (banco central EUA, Fed), repercutiram favoravelmente no dia. Um relatório mostrou queda no  número de trabalhadores que entraram com pedido de auxílio-desemprego, que ficou em 334 mil, segundo dados do Departamento de Trabalho americano.

    O outro dado positivo foi o índice de atividade industrial regional do Meio-Atlântico, calculado pelo Federal Reserve da Filadélfia,  que subiu para 19,8 em julho ante 12,5 registrado no mês anterior. O presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, também voltou a falar no Congresso americano, onde declarou que ainda é cedo para dizer que o Fed vai reduzir as compras de títulos na reunião de setembro.

    As três notícias repercutiram bem nas bolsas norte-americanas e puxaram o resultado no Brasil. O Dow Jones subiu 0,5%, fechando aos 15 548 pontos. O S&P 500 também ganhou 0,5% aos 1.689 pontos. Já o Nasdaq teve alta de ,04% aos 3.611 pontos.

    As ações mais valorizadas na Bovespa neta quinta-feira  foram da BROOKFIELD ON (8,02 %), B2W DIGITAL ON (6,87%) e JBS ON (5,78%). Já as baixas mais acentuadas ficaram com o BRADESCO ON (-3,31%), V-AGRO ON (-2,39%) e ELETROBRAS ON ( -2,28%).


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    <b>Dilma </b>defende mais investimentos para mobilidade urbana no Nordeste
    O <b>papa Francisco</b> é pop: <b>evento de jovens católicos</b> deve gerar receitas milionárias