elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1078
+0,41%
47,77
+7,28%
1.475,82
+0,76%

Banco Central faz leilão de venda de dólares no mercado futuro

Agência Brasil - 13:19 - 18/07/2013
comentarios

    O Banco Central (BC) fez nesta quinta-feira (18) mais um leilão para conter a alta do dólar. A operação de swap cambial tradicional, equivalente à venda de dólares no mercado futuro, foi anunciada ontem (17) e realizada hoje. Os 20 mil contratos ofertados, com vencimento em 2 de dezembro deste ano, foram negociados. A venda gerou R$ 994,9 milhões.

    Depois de realizar esse leilão, o BC anunciou outro para amanhã, também com 20 mil contratos e vencimento em 2 de dezembro de 2013.

    Os leilões de swap cambial são uma das ferramentas usadas pelo BC. O governo também adotou outras medidas. Uma delas foi eliminar restrições de prazos para que os exportadores financiem pagamentos antecipados.

    Antes, os exportadores que quisessem antecipar o recebimento das receitas com as vendas para o exterior poderiam pegar empréstimos de até cinco anos. O BC derrubou esse limite, permitindo que financiamentos de prazos mais longos sejam concedidos. A medida tem como objetivo aumentar a oferta de dólares no mercado, empurrando a cotação para baixo.

    O órgão também retirou o depósito compulsório sobre a posição vendida de câmbio. Com a medida, os bancos deixaram de recolher à autoridade monetária parte dos valores aplicados em apostas de que o dólar vai cair.

    Outra medida do governo foi zerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para os estrangeiros que aplicam em renda fixa no Brasil. Desde outubro de 2010, a alíquota em vigor era 6%. O governo também decidiu isentar de IOF a venda de moeda estrangeira no mercado futuro.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    <b>IGP-M sobe 0,24%</b> na segunda prévia de julho, indicando menor pressão sobre aluguéis
    <b> Bovespa</b> fecha com saldo positivo de 0,53%