elEconomista.es
Brasil
37.362,92
-1,76%
4,1176
-0,69%
47,77
+7,28%
1.466,73
+0,21%

Preço da gasolina deve fechar o ano com aumento de 5%

Agência Brasil - 16:16 - 30/09/2013
comentarios
    tagsMás noticias sobre:

    O preço da gasolina, que já subiu 2,15%, em 2013 até agosto, para o consumidor teve apresentar reajuste total de 5%, no acumulado do ano. A previsão é do Banco Central (BC), que divulgou nesta segunda-feira (30) o Relatório Trimestral de Inflação.

    A gasolina é um dos produtos com preços administrados, que têm apresentado alta menor que a de preços livres, segundo o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo. Mas, de acordo com o diretor, é natural que adiante haja um estreitamento dessa distância entre os produtos com preços administrados e livres.

    ?Na medida em que os administrados passam a subir mais e os outros diminuem, isso não é um problema. Tem que olhar o conjunto como um todo. Estamos trabalhando para que a inflação como um todo venha abaixo?, disse o diretor.

    Araújo acrescentou que ainda há bastante trabalho a ser feito no combate à inflação. ?A inflação está alta. Está desconfortável, como o próprio presidente [do BC, Alexandre] Tombini reconheceu. Mas isso é uma situação que pode evoluir para melhor, a depender das ações que forem tomadas ao longo do tempo?, disse.

    Com a alta da inflação, neste ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC aumentou a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, em abril, e em 0,5 ponto percentual em maio, julho e agosto. Atualmente, a taxa está em 9% ao ano. A próxima reunião do Copom será nos dias 8 e 9 de outubro. A Selic é usada para influenciar a atividade econômica, e por consequência, a inflação.


    Comentários 0

    Síguenos en twitter
    Síguenos en Facebook

    Más leidas

    eAm
    Colombia
    Mexico
    Chile
    Argentina
    Peru

    Liga Brasileña 2013-14

    <b>Inflação baixa e estável</b> contribui para crescimento sustentável do país, destaca diretor do BC
    <b>Brasil</b> não conseguiu economizar em agosto para pagar dívida